6-dicas-para-melhorar-a-gestao-de-empresas-familiares.jpeg

6 dicas para melhorar a gestão de empresas familiares

A gestão de empresas familiares é uma das tarefas mais delicadas que existem, pois envolve pessoas do mesmo sangue. E, por esse motivo, deve ser muito bem administrada para que os envolvidos não se sintam lesados ou menos favorecidos.

A formação desse tipo de negócio tem certas peculiaridades, sendo uma delas o fato de o chefe da família ser o dono da empresa, o que, normalmente, pode gerar conflito de interesses.

Pensando nisso, reunimos 6 dicas para que você possa melhorar sua gestão de uma vez por todas. Confira!

1. Separe os gastos pessoais dos gastos da empresa

Esse é um dos problemas mais marcantes que se observa dentro de empreendimentos familiares. Com um caixa à disposição, é bastante comum que os donos utilizem o dinheiro da empresa para gastos pessoais. Na maioria das vezes, eles fazem com a intenção de repor logo em seguida.

Entretanto, esse tipo de atitude pode ser extremamente danosa aos negócios, pois algumas pessoas não só não repõem o “empréstimo” feito no caixa, como também passam a efetuar a prática diariamente, transformando-a em um ciclo vicioso.

Por esse motivo, é essencial definir um valor que será destinado para o salário dos gestores da empresa, garantindo que eles recebam uma quantidade predeterminada todo mês para cobrir seus gastos.

Assim, o dinheiro restante se mantém no caixa, disponível para a manutenção do negócio por meio de compra de matéria-prima, reformas, substituição de equipamentos, pagamento de funcionários, futuros investimentos, entre outros.

2. Não conceda privilégios aos parentes

Apesar de soar como algo simples e inocente, dar privilégios aos parentes pode fazer com que a empresa não avance positivamente. É necessário manter uma rotina de obrigações igualitária entre os funcionários, sejam eles familiares ou não.

Isso porque, ao oferecer os pequenos e singelos privilégios, acabamos comprometendo a produtividade dos demais membros da equipe. Portanto, isso faz com que o rendimento e a entrega do operacional, por exemplo, fiquem prejudicados e sejam reduzidos.

3. Determine o salário de cada membro da família​

A determinação do salário dos familiares que trabalham na empresa é uma das tarefas mais complexas, pois todos podem querer receber igual. Em toda corporação, sempre há aqueles que se destacam mais do que os outros devido ao seu empenho e dedicação. Porém, para recompensar essas pessoas é preciso expor suas qualidades e aptidões para não causar um sentimento de revolta entre os demais parentes.

Uma boa forma de determinar esses valores, portanto, é definindo um teto de retirada para os donos e racioná-lo conforme as porcentagens. Para os que trabalham diretamente na empresa, é preciso calcular um salário compatível com a categoria na qual atuam e com o mercado.

4. Tenha um planejamento bem definido

Todos os negócios necessitam de um planejamento bem definido, não é mesmo? No caso de empreendimentos familiares, esse documento deve ser transparente e estar sempre disponível para consulta.

Em virtude do envolvimento de muitas pessoas da família, é normal que os interesses pessoais de cada um possam divergir da estratégia do negócio. Porém, é fundamental que, neste momento, todos pensem somente no futuro da empresa.

Para isso, é preciso colocar em prática a governança corporativa, na qual a reunião periódica entre os familiares envolvidos no negócio é essencial. Dessa forma, as decisões e os processos ficam claros para todos.

Nesse ajuntamento, é indispensável que os líderes da família saibam ouvir os demais e, ao mesmo tempo, permitam que todos façam críticas e perguntas.

Inicialmente, os líderes podem custar a obter feedbacks relevantes, no entanto é necessário ter paciência nesta etapa, uma vez que os parentes mais reservados podem contribuir com as ideias mais inovadoras.

5. Saiba administrar problemas e conflitos

Conflitos surgem em todas as empresas. Destaca-se quem consegue remediar uma situação desse tipo antes que uma simples discussão possa causar efeitos danosos aos negócios. Por isso, recomenda-se atenção aos aspectos a seguir, na medida em que podem ser úteis quando você precisar lidar com ocorrências de conflito:

Foco no resultado

A razão de existir de um empreendimento é a geração de lucro para os proprietários e sócios. Quando todos os integrantes têm interesse em fazer com que a marca ganhe mais dinheiro, eles estão concentrados em solucionar todo tipo de problema para que todos obtenham o resultado esperado. Assim, com esse pensamento, fica mais fácil evitar discussões desnecessárias.

Comunicação

A melhor forma de resolver conflitos é conversar a respeito de um problema antes mesmo que ele ocorra. O diálogo constante é fundamental na tomada de decisões.

Evitar conversas, críticas e questionamentos é um grande erro, pois essas atitudes podem levar a empresa a diminuir o crescimento e até a fechar as portas.

Portanto, deve haver disposição para escutar as mais diversas opiniões e conselhos, e analisá-los com coerência. Esse tipo de posicionamento desperta a confiança nos demais membros.

Acordo familiar

O ideal é criar um conjunto de normas e obrigações que determinará a relação entre família, sócios e empresa. Os aspectos deste acordo deverão ser levantados e estabelecidos pela família, considerando fatores como:

  • quem trabalha ou não na empresa;

  • responsabilidades;

  • utilização dos bens do negócio;

  • autonomia dos membros;

  • remuneração, auxílio-doença, auxílio-acidente e pensão em caso de morte;

  • processo de sucessão de herdeiros;

  • outros assuntos que julguem necessários.

Depois de definir os fatores mais relevantes, firme um documento por escrito para que seja do conhecimento de todos os envolvidos e sirva para consultas. Todos devem assinar o acordo familiar para validá-lo.

6. Mantenha uma rotina de controle de desempenho e análise dos resultados

Para manter o negócio operando, é preciso controlar tudo que acontece a fim de ter uma visão ampla de como o empreendimento está. Desse modo, uma rotina de gerenciamento de desempenho (performance) e análise de resultados é importantíssima.

Ao definir as metas e os objetivos, é necessário identificar também quais são os indicadores-chave de desempenho do negócio, que o ajudarão a chegar ao ponto ideal. Com base nesses números, é possível constatar se o planejamento estratégico está no caminho certo.

Dispor de relatórios quinzenais ou mensais, por exemplo, também é fundamental. Eles são úteis não só para apontar oportunidades e melhorias, mas também para serem divulgados a todos os familiares responsáveis pela empresa.

Esses indicadores precisam estar integrados com os diversos setores do negócio, contemplando departamentos como produção, vendas, fornecedores, colaboradores e clientes. Dessa forma, todos passam a falar a mesma língua dentro da empresa, agilizando a tomada de decisões.

Como você pode perceber neste post, uma gestão de empresas familiares deve ter total dedicação dos líderes para que tudo ocorra da melhor forma possível. Esperamos que as dicas citadas nele possam ser úteis para o seu negócio.

Então, gostou do artigo de hoje? Siga nossas páginas no Facebook e no Linkedin, e fique por dentro de todas as nossas novidades.

Deixe um comentário!